jump to navigation

Como orar em línguas? 12/08/2011

Posted by Moisés Gomes in Oração, Protestantismo, RCC.
comments closed

“Como orar em línguas?” – Este é o termo motor de buscas que mais aparece e dá fluxo a este pequeno, quase desconhecido blog. E ele aponta para um post onde faço uma simples brincadeira que muitos protestantes e carismáticos (irmãos siameses) não gostam muito. Bem, a intenção não era agradar mesmo, mas creio que fiquei no raso, e sinto que há a necessidade de se esclarecer algo mais sobre o assunto. Longe de ser um “expert” no assunto e tampouco ter qualquer autoridade, contribuo apenas com minha humilde conclusão baseada no que se segue, a qual sujeito à inteira correção da Mãe e Mestra Santa Igreja. Vamos lá.

O orar em línguas é um dom do Espírito Santo, mas não é um dom qualquer. A Igreja ensina que os dons do Espírito Santo se dividem em categorias diferentes, a saber:

a) Graça santificante ou habitual;

b) Graça atual;

c) Graça sacramental;

d) Graça especial ou carisma.

Estas podem ser conferidas no novo Catecismo da Igreja Católica entre os parágrafos 1999 e 2004.

O dom de línguas está entre a graça especial, ou carisma: “graças especiais, chamadas também ‘carismas’, segundo a palavra grega empregada por S. Paulo e que significa favor, dom gratuito, benefício. Seja qual for seu caráter, às vezes extraordinário, como o dom dos milagres ou das línguas, os carismas se ordenam à graça santificante e têm como meta o bem comum da Igreja” (Catecismo da Igreja Católica, 2003 – negritos meus).

Deste parágrafo, já podemos chegar à conclusão que o termo “como orar em línguas” se quer poderia existir caso o verdadeiro dom de línguas fosse bem compreendido. Ora, se é um dom gratuito, um benefício, então não se tem como aprender a orar em línguas e não há quem possa ensinar.

Outro detalhe importante é que assim como o dom de milagres, o das línguas também é extraordinário. Ou seja, não é algo que acontece normalmente ou a todo instante, ou ainda quando aperto um botãozinho ou alguém começa a “ministrar” um louvor. É extraordinário.

Resumindo, podemos concluir que a) o dom de línguas é um “dom” e b) que é extraordinário. Agora, será que estou falando do mesmo dom que você viu em algum lugar e está querendo aprender? Isto são cenas dos próximos capítulos…

Moisés Gomes

"A concórdia não é uniformidade de opiniões, mas concordância de vontades" (S. Tomas de Aquino).

Carnaval com Cristo! Carnaval com Cristo? 08/02/2013

Posted by Moisés Gomes in Curiosidades, RCC.
comments closed

Por Fábio Botto do portal: http://www.catolicismoromano.com.br

O que podemos dizer sobre o dito “Carnaval com Cristo”, onde muitos protestantes e carismáticos fazem questão de associar o nome Santo de Cristo com a festa pagã e profana que é o carnaval. É uma verdadeira blasfêmia e heresia, muitas paróquias católicas dedicarem seus ditos ministérios para danças e encenações.

O VERDADEIRO CATÓLICO, faz do carnaval, uma preparação para a Quaresma que deve ser realizada com muita oração, penitência e caridade.

O carnaval não é uma festa católica. Era uma festa pagã que os romanos realizavam em fevereiro, as februália.

Como os cristãos iam passar quarenta dias sem comer carne, o nome carnaval se entendeu como “carne vale”, isto é, os últimos dias em que se podia comer carne antes da Quaresma.

O Carnaval é uma festa profana (contrário ao respeito devido às coisas sagradas) mais antiga que se tem registro, provavelmente há mais de três mil anos. As suas raízes mais remotas encontram-se na Grécia Antiga, no culto a Dionísio, o deus da vinha, do êxtase, também conhecido como o deus do Baco, mais tarde celebrado em Roma, espalhando-se para os países de cultura neolatina. Ele (Dionísio), era representado como uma figura humana, só que de chifres, barbas, pés de bode e um olhar meio embriagado. Segundo o que verificamos na história, os primeiros seguidores do deus Dionísio foram as mulheres, isso há mais de três mil anos atrás, que viam nesses dias que lhe eram dedicados um momento para escapar da vigilância dos maridos, irmãos e pais, para poderem cair na folia, nas danças e gritos de júbilos. Os homens não demoraram a aderir as “procissões” das mulheres. A festança que se estendia por

Três dias, encerravam-se com uma bebedeira coletiva.

Nos primórdios do culto a Dionísio, as autoridades (a corte, os sacerdotes e os ricos) não gostavam nada daqueles festejos. Uma de suas razões é porque eram vítimas das sátiras.

Os festejos além de serem uma teatralização coletiva da inversão de tudo, serviam de um acerto de contas do povo com os seus governantes. O povo (pobre) vestia-se de rei, o libertino como guia religiosa, a prostituta local posava como donzela e homens reconhecidos como tal, vestiam-se de mulheres.

No século VI ªC, Pisístrato, o tirano de Atenas, oficializou homenagens a Dionísio. Construiu-lhe um templo (teatro Dionísio) na Acrópole, que está lá até hoje. Aí, começou a ter concursos de peças cômicas ou dramáticas para celebrá-lo no palco, iniciando assim em Atenas a política do amparo as artes cênicas pelo Estado. Nessa época, a subversão dos costumes, fazia com que as pessoas ficassem soltas pelos campos provocando “loucuras”. O povo caía na desordem e no deboche às autoridades, eles usavam essa festa da colheita dedicada ao deus Dionísio, como um subterfúgio para fazerem tudo aquilo que lhes eram prazeroso. Quando o carnaval foi trazido pelos portugueses para o Brasil no século XVII, o povo colonizado rapidamente aderiu como a maior festa popular brasileira, como um imperdível momento de inverter, ainda que simbolicamente, as dificuldades em que viviam pela ganância da Coroa. Todos os festejos giravam em torno do Rei Momo (deus pagão, que presidia os festejos carnavalescos em Roma).

A partir de 1935 começaram a sufocar essa festa popular, submetendo os desfiles populares a regulamentos, horários e trajetos a serem cumpridos a risca. Ë a ordem da desordem! Com isso houve uma troca da contestação divertida para a sensualidade exposta.

05/06/2012

Posted by Moisés Gomes in Doutrina Católica.
comments closed

§|Olhar Católico|§

Fonte: Génesis Contra Darwin

Será que o cérebro humano evoluiu a partir do cérebro dum animal parecido com um macaco? Duas novas reportagens descrevem quatro genes humanos com o nome de SRGAP2A, SRGAP2B, SRGAP2C, eSRGAP2D, que estão localizados em 3 regiões distintas no cromossoma número 1 (Dennis, M.Y. et al. 2012. Evolution of Human-Specific Neural SRGAP2 Genes by Incomplete Segmental Duplication. Cell. 149: 912-922).

Aparentemente eles desempenham um papel importante no desenvolvimento do cérebro (Charrier, C. et al. 2012. Inhibition of SRGAP2 Function by Its Human-Specific Paralogs Induces Neoteny During Spine Maturation. Cell. 149: 923-935).

A descoberta mais importante talvez seja o facto de 3 dos 4 genes (SRGAP2B, SRGAP2C, and SRGAP2D)se encontrarem unicamente nos seres humanos e em mais nenhum outro mamífero, incluindo os macacos. Embora cada um dos genes partilhe algumas regiões semelhantes, claramente elas são únicas na sua estrutura e funções gerais quando comparadas umas com as outras.

Os evolucionistas alegam que, de…

Ver o post original 347 mais palavras

Youcat x Catecismo Romano 27/04/2012

Posted by Moisés Gomes in Curiosidades, Doutrina Católica, Igreja Católica, Tradição.
Tags: , , , ,
comments closed

Apesar de não concordar com todo o conteúdo do texto, que pende muito para o sedevacantismo, achei interessante estas comparações feitas pelo Carlos Nougué entre o Youcat e a Doutrina de Sempre. Confiram:

(…)
a1) Youcat sobre as Sagradas Escrituras: “Como pode a Sagrada Escritura ser ‘Verdade’, se nem tudo o que nela se encontra está correto? […] Também os autores [das Escrituras] eram filhos de seu tempo. Eles partilhavam as concepções culturais de seu ambiente, em cujos erros, por vezes, estavam presos. [Isso porque] a Bíblia não caiu do céu feita, nem Deus a ditou [senão] a verdadeiros autores”.
a2) Catecismo Maior sobre as Sagradas Escrituras: Não pode haver erro na Sagrada Escritura? Na Sagrada Escritura não pode haver erro algum, porque, sendo toda inspirada, o Autor de todas as suas partes é o próprio Deus.[1] Isso não obsta a que nas cópias e traduções da mesma Sagrada Escritura se tenha dado algum engano ou dos copistas ou dos tradutores” [destaque nosso].
b1) Youcat sobre o inferno: O que é o inferno? A nossa fé designa por ‘inferno’ o estado do definitivo distanciamento de Deus. […] Dito à nossa maneira, ele é mais frio que quente”.
b2) Catecismo Romano sobre o inferno: “A expressão ‘infernos’ designa os ocultos receptáculos em que são detidas as almas que não conseguiram a bem-aventurança do céu. […] Um [desses receptáculos] é a horrenda e tenebrosa prisão em que as almas réprobas são atormentadas num fogo eterno e inextinguível, juntamente com os espíritos imundos. Chama-se também ‘geena’ e ‘abismo’. É o inferno propriamente dito”.
c1) Youcat sobre o pecado original: “O que temos nós a ver com a ‘queda’ de Adão e Eva? A expressão ‘pecado original’ refere, portanto, não o pecado pessoal, mas o estado nocivo da humanidade em que nasce o indivíduo…”
c2) Catecismo Maior sobre o pecado original: “Que é o pecado original? O pecado original é aquele com que todos nascemos, exceto a Santíssima Vigem Maria, e que contraímos pela desobediência de nosso primeiro pai, Adão” [e que, portanto, foi um pecado pessoal deste].
(…)

[1] Enquanto tal, com efeito, o escritor sagrado humano é instrumento de Deus, e não “verdadeiro autor” como quer fazer crer o Youcat. Cf. o magnífico La causalité instrumentale dans l’ordre surnaturel (T. R. P. Edouard Hugon, Paris, Pierre Tequi Libraire-Editeur, 1924).

"Será que é esse povo que vai pagar as fraldas dos meus filhos?" 26/04/2012

Posted by Moisés Gomes in Aborto, Curiosidades.
Tags: , , , , ,
comments closed

“Procura-se obstetra católico”

Este foi um anúncio postado em um jornal por uma católica de Campo Grande. Em sintonia com o que ensina a Doutrina da Igreja ela postou este anúncio por estar insatisfeita com os atendimentos que vem recebendo, onde a contracepção e o controle de natalidade são os dogmas pregados pela religião antropocêntrica que permeia nossa sociedade.

De fato este trecho da doutrina católica tem sido esquecido, omitido, e até mesmo contradito pelos senhores Bispos brasileiros. Que diremos dos Padres?Então esperar isto de médicos é mais “absurdo” ainda, por mais que não seja realmente absurdo, visto que estamos em um país católico.

A senhora em questão tem 28 anos e já espera seu terceiro filho e tem a grande vantagem de ter um marido que compactua com os ensinamentos da Santa Madre Igreja. Eu faço 25 anos no dia 28 próximo e ainda estou na minha primeira filhinha, mas minha esposa, com o apoio de minha mãe (vejam só! que raiva!) se contrapõe a idéia de já gerarmos nosso segundo bebê. Não que ela não queira ter mais filhos… Mas é que não quer agora. Qual o método que ela usa? O mesmo que eu: abstinência. O que quero dizer é que bom que ambos têm a mesma mentalidade!

Agora, o mais “interessante” é ler os comentários que tem na notícia. Me surpreende que haja gente elogiando! Mas é claro há sempre os bocós que dizem “como você vai criar?” ou ainda “que fanática doidona” ou ainda “que irresponsável”. Na própria entrevista ela esclarece: “Será que é esse povo que vai pagar as fraldas dos meus filhos?” Traduzindo: VÃO SE CATAR BANDO DE CRISTIANOFÓBICOS E DEIXEM MINHA VIDA EM PAZ!

Miserere nobis 25/04/2012

Posted by Moisés Gomes in Doutrina Católica, Igreja Católica, Missa.
comments closed

Aparecida (Segunda-feira, 23-04-2012, Gaudium Press) Na 50ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil, que acontece em Aparecida (SP), os bispos estão tratando, entre outros temas, da tradução do Missal Romano.

Segundo o Arcebispo de Juiz de Fora (MG), Dom Gil Antônio Moreira, em todas Assembleias, a liturgia recebe um destaque especial. “O que estamos vendo é uma tradução mais adequada das orações que estão em latim, sejam as orações da Missa, sejam as orações também eucarísticas que são fixas e esta tradução é importante para que haja sempre uma melhor compreensão e fidelidade ao texto original”.

Esta tradução estão sendo feita com muito cuidado e zelo para que depois seja encaminhada à Santa Sé para sua aprovação final. Dom Gil afirma que o fato de a tradução estar sendo discutida há algum tempo, é o fato de que a Igreja é muito minunciosa “temos todo o cuidado, não palavra por palavra, mas vírgula por vírgula”.

Este cuidado todo, segundo o Arcebispo de Juiz de Fora, é porque “a liturgia é o ápice, o ponto alto da comunidade com Deus e por isso, a Igreja tem de ser muito cuidadosa neste aspecto para que nada saia errado, para que não haja nenhum sinal, nenhuma palavra, nenhuma preposição que possa causar dificuldade no entendimento naquilo que se reza, que é a expressão da fé”.

Por este motivo, segundo Dom Gil, é que esta tradução não é um texto fácil de ser concluído mas, “esperamos que seja finalizado em breve, mas eu não tenho a ilusão de saia de hoje para amanhã”.

Luciano Batista

Lei da mordaça gay: nem foi aprovada, mas a Globo já põe em prática 24/04/2012

Posted by Moisés Gomes in Homossexualismo.
Tags: ,
comments closed

Por Reinaldo Azevedo, da Veja.

O “Fantástico” levou ontem ao ar uma reportagem preconceituosa. Sim, é o “preconceito a favor”. A questão é saber se o “preconceito a favor de uma causa” provoca ou não danos a terceiros. A dúvida é meramente retórica porque a resposta é óbvia. O vídeo com a reportagem está aqui. Eu a reproduzo abaixo (em vermelho). Leiam com atenção. Volto em seguida.

Dois domingos atrás, o Fantástico foi a Santos conhecer um curso que se destina a formar drag queens. Durante a gravação, um aluno se destacou e, quando voltou ao trabalho, o aprendiz de drag teve uma surpresa. E não foi nada agradável. Foi Ailton aparecer no Fantástico na semana passada. “Sou psicólogo, administrador, professor da área de logística e quase drag.”, disse ele na reportagem. No dia seguinte, tudo mudou. “Um dos meus chefes simplesmente chegou para mim e disse que não era condizente com ele, que aquilo não era bom para empresa, não era bom para a imagem”, conta o professor.

A reportagem era sobre um curso de drag queen, e Ailton era um dos alunos. Ele andou de salto alto, dançou, cantou. Ele era professor de logística em uma escola, no centro de São Vicente, litoral de São Paulo. Ficou dois anos e meio no emprego. Na segunda-feira depois da reportagem, recebeu o aviso do chefe, antes mesmo de chegar ao trabalho. “Ele falou abertamente: ‘você está demitido’”, diz conta. A carta de demissão diz que Ailton foi despedido “sem justa causa”, mas ele acha que o motivo está claro. “Sofri um ato homofóbico”, desabafa.

Por isso, o professor registrou um boletim de ocorrência por “injúria”. Contou à polícia que o patrão disse que ele era uma “mancha para sua empresa”. Ailton ficou apenas com o segundo emprego, em uma entidade que oferece cursos profissionalizantes de graça. O professor é homossexual assumido e alega que o agora ex-chefe sabia disso. “Eu não imaginava que fosse gerar essa polêmica toda”, se emociona Ailton.

Procuramos o dono da empresa. Ele conversou com nossa equipe, mas não quis gravar entrevista. Em uma nota, o advogado da escola contesta a versão de Ailton. Afirma que a empresa está “indignada com as inverdades mencionadas e que tomará medidas judiciais para proteger sua honra”. O ex-patrão de Ailton negou qualquer tipo de preconceito, disse que já vinha pensando em demitir o ex-funcionário, porque o rendimento dele estava caindo e que Ailton também estava faltando. Ele achou melhor fazer o desligamento, depois que Ailton não apareceu na escola durante dois dias, porque estava participando do curso de drag queen.

Repórter: Você faltava?
Ailton: O único dia que eu faltei, foi exatamente no Sábado de Aleluia. Na quinta-feira, eu havia deixado uma atividade.

Para a presidente da Comissão Nacional de Diversidade Sexual da Ordem dos Advogados do Brasil, demitir por causa de duas faltas é exagero. “Não houve nenhuma advertência e simplesmente a demissão? Dois dias de falta não ensejam a demissão desta forma como foi feito. Acho que isso fica evidenciado, que foi uma demissão causada por homofobia.”, afirma Maria Berenice Dias.  Chateados, os colegas do curso de drag queen mandaram recados para o ex-patrão de Ailton.

“Agora você deveria conversar com o Ailton e trazer ele de volta. Faz isso que eu to te pedindo. Chama ele de volta que eu acho que vai ser melhor pra todo mundo.”
“Eu aproveitaria o marketing que o Ailton teve, colocaria ele montado de drag na frente da loja. Eu garanto que ia ter muito mais público. Pensa nisso. Contrata ele agora como drag!”, sugere Zé Carlos Gomes, coordenador do curso .

Segundo a representante da OAB, Ailton pode pedir indenização por danos morais. Mas ele não se decidiu. “Eu não sei te dizer até que ponto a indenização é interessante. Eu só sei de uma coisa: preconceito não pode existir.”

Voltei
Se a tal lei tivesse sido aprovada, a chance de o ex-patrão de Ailton ir para a cadeia seria enorme. Dispensa “por homofobia” rende pena de 2 a 5 anos de reclusão. Caso o empregador seja acusado de não contratar alguém pela mesma a razão, a coisa é ainda pior: pena de três a cinco anos. No caso em questão, a lei nem existe, mas a sentença já está dada: pela reportagem do Fantástico — não há como negar — e pela representante da OAB, todos convertidos em juízes.

Aílton não tem dúvida de que foi vítima de homofobia, claro!, embora, vejam que fantástico (!), ele seja homossexual assumido e seu patrão soubesse disso. Assim, devemos entender que seu patrão “homofóbico” contratou um homossexual assumido. Entenderam???

Muito bem! Aílton diz que faltou ao emprego num dia e deixou de “cumprir uma atividade em outro”… Mas, se ele é gay e aparece na televisão se comportando como uma drag queen, é claro que só isso pode ter decidido a sua demissão. Temos, então, que um gay não poderá mais ser dispensado por incompetência, negligência, sei lá o quê. Será sempre homofobia. Fosse ele hétero e tivesse aparecido na TV como aluno de um curso para machões, aí não haveria como alegar preconceito.

Reitero: a lei nem foi aprovada, e já há gente sendo demonizada na televisão. Ademais, pergunto: uma escola — estou falando de “escola”, não de uma empresa da área de entretenimento — tem o direito de não querer uma drag queem como professora caso considere que isso a prejudica na disputa pelo mercado? Uma pré-escola pode decidir não contratar a Tia Swellen Wonderful — que, na verdade, é o Tio João Evangelista de Souza —porque isso deixaria as crianças um pouco confusas? Segundo a lei que querme aprovar, não! Cadeia!

Essa é a mesma lei que poderia mandar para a cadeia um padre ou pastor que coibisse a expressão da “homoafetividade” dentro de uma igreja. Atenção! Se um líder religioso desse um pito num casal hétero que estivesse trocando um beijo de língua dentro do templo, a lei o protegeria. Afinal, nos seus domínios, cabe-lhe impor o padrão moral de sua crença. Caso fizesse o mesmo com parceiros gays, poderia ficar cinco anos trancafiado. E olhem que nem seria preciso dizer palavras duras: caso os parceiros gays se sentissem psicologicamente constrangidos — uma coisa, assim, subjetiva… —, já haveria motivos para a acusação de homofobia. O texto trata até do “constrangimento filosófico”, seja lá o que isso signifique.

O que quer essa gente? Que os empregadores comecem a ficar com receio de contratar gays, já que podem estar se expondo a uma futura acusação de homofobia?

Sou um católico fervoroso, devoto de Nossa Senhora, Temente a Deus e MAÇON 20/04/2012

Posted by Moisés Gomes in Maçonaria.
Tags:
comments closed

Sou um católico fervoroso, devoto de Nossa Senhora, Temente a Deus e MAÇON.
Confesso-me diretamente com Ele, e sempre que posso, comungo.
Essa “birra” da igreja não tem qualquer embasamento. NÓS sabemos o porque.
A maçonaria não é uma religião.
“È um conjunto de ensinamentos relativos à moral, apresentados e explicados sob a forma de símbolos e alegorias”.
Não tentem misturar as coisas…

Quer saber mais? Dá uma olhada nestes comentários aqui.

A imprensa já começa a soltar os cachorros… 19/04/2012

Posted by Moisés Gomes in Igreja Católica, Polêmicas.
Tags: ,
comments closed

O que foi que eu disse hein!? A AFP já começou a soltar os cachorros no Papa e na Fraternidade. Eu não tinha apostado neste tema de notícia no post anterior, mas acreditem, piores virão:

Cisma: fundamentalistas católicos a um passo do acordo

Devagar com o andor… 18/04/2012

Posted by Moisés Gomes in Curiosidades, Igreja Católica, Papa Bento XVI, Polêmicas.
comments closed

Está claro que ainda falta a confirmação do Vaticano para o reingresso da FSSPX. Isto ficou bem esclarecido aqui:

Comunicado da Casa Geral da Fraternidade São Pio X.

O comentário do porta-voz da FSSPX.

O comentário do Padre Lombardi: “Encorajadora”.

O Fratres como sempre de parabéns 🙂

A volta dos que não foram… 18/04/2012

Posted by Moisés Gomes in Igreja Católica, Missa Tridentina, Papa Bento XVI, Polêmicas, Vaticano II.
Tags: , ,
comments closed

É com grande alegria que, via Fratres in Unum, podemos anunciar que em breve a FSSPX estará de volta à Santa Igreja. De onde nunca saiu 🙂

Como se volta de onde nunca saiu? – Perguntar-me-ia o nobre e raro leitor deste blog. Pois é, eu não sei, só sei que foi assim 😉

Na minha humilde e desautorizada opinião nunca estiveram fora aqueles que sempre declararam obediência ao Santo Papa e a Doutrina Católica que SEMPRE foi ensinada, ao contrário de muitos “católicos” que há por aí.

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

E que Nosso Senhor Jesus Cristo se compadeça da FSSPX e do Santo Padre, o Papa Bento XVI, pois a ira dos lobos cairá sobre suas cabeças.

Fazendo uma previsão dos próximos noticiários poderemos ter:

-Papa readmite ultra-conservadores à Igreja Católica;

-Depois de retirar excomunhão de bispo negacionista, Papa o readmite na Igreja;

-Levrevistas que negam o Concílio Vaticano II, que renovou e atualizou a Igreja com o mundo, são readmitidos na Igreja;

-Teólogo e ex-colega do Papa Bento XVI, Hans Kung pede renúncia do Papa;

-No seu sétimo ano de pontificado o Papa Bento XVI entra em nova polêmica: readmite bispo negacionista na Igreja;

Então caros (e raros!) leitores, qual das opções acima vocês acham que mais vão, como se diz aqui no Ceará, virviar nos noticiários?

Se vocês acham que faltou alguma, indiquem nos comentários…

A Rede Globo e as Mentiras Sobre os Documentos “Secretos” do Vaticano 17/04/2012

Posted by Moisés Gomes in Doutrina Católica.
comments closed

Por Fernando Nascimento


A mal intencionada jornalista Ilse Scamparine, da Rede Globo, em pleno sábado de Aleluia, (e só porque era dia memorável católico, pois assim manda a praxe dos hereges), no Jornal Nacional do dia 7/4/2012, resolveu mais uma vez com suas desinformações, agredir a Igreja Católica num dia santo, isso direto de Roma, valendo-se das desonestas mentiras estratégicas protestantes (lendas negras), que tanto apregoa vez por outra vendendo-as como “informação”.


A jornalista apresentava a exposição "Lux in arcana" que reúne documentos valiosos da Igreja, que está acontecendo nos museus do Capitólio, em Roma, como sendo uma “exposição de documentos secretos do Vaticano”, e caluniando a rodo, pronunciava uma mentira protestante e anti-histórica para cada documento que apresentava sem os ter lido.

A exposição "Lux in arcana" de antigos documentos valiosos da Igreja, está em cartaz desde 29 de fevereiro e vai até 9 de setembro, mas a desonesta e espírita Rede Globo escolheu coincidentemente o sábado de Aleluia, para com suas distorções criminosas vender mais uma vez a Igreja como vilã, usando a desonestidade da senhora Ilze Scamparini.

Eis o trecho do Jornal Nacional onde a Globo caluniava sobre os documentos:

http://globotv.globo.com/rede-globo/jornal-nacional/v/arquivos-secretos-do-vaticano-sao-revelados/1893952/


Cassiodoro Reina

1- O processo de Galileu – A jornalista afirmava em forçado tom melancólico, que Galileu (trêmulo) foi condenado por sustentar que a terra era o centro do universo. Para isso a jornalista foi astuta o bastante ao tirar proveito da decoração ambiental do museu, que simbolizava o fogo luz da era medieval (era dos documentos), para fazer uso maldoso das chamas associando-as à inquisição das anti-católicas lendas negras protestantes. Ela caluniou que “muitos” morreram na fogueira, mas não citou nome algum e ainda culpou o Tribunal católico por isso. – Uma mentira vergonhosa, forjada pelo protestante Casidoro Reina que se escondia atrás do pseudônimo de “Montanus”!

Erroneamente ou por má fé, muitos que se aventuram a falar sobre o modo de justiça dos tempos medievais, atribuem as sentenças de morte simplesmente à “Inquisição”, contabilizando isto à Igreja Católica, o que é uma injustiça. Na verdade existiam três Tribunais distintos: 1- o Tribunal civil dos reis (que matava na fogueira e queimou os Templários e muitas bruxas); 2- o Tribunal protestante dos protestantes que usurparam países católicos (que matava na fogueira e queimou Miguel Servet e 20 mil bruxas só na confissão de Benedict Carpzov); 3- e o Tribunal católico (que era o mais indulgente e possuía proibição papal de se atentar contra a saúde ou vida do acusado. Daí Galileu, Casanova, Lutero, Casidoro Reina e muitos outros terem morrido na velhice de causas naturais, pois as sentenças do Tribunal católico eram a absolvição, ou a excomunhão, e estava limitado a julgar apenas católicos, e somente católicos, que promoviam heresia contra a fé).

Geralmente omitem essas regras do Tribunal católico, e também que a Igreja proibiu o livro proposto que recomendava torturas aos acusados, ou mesmo que foi a Igreja Católica que contribuiu decisivamente para o fim das mortes em outros tribunais.

A Verdade: Galileu foi processado em 1633 por ter violado uma disposição que lhe foi feita em 1616. A disposição de 1616, que Galileu não cumpriu, proibia-o de ensinar o heliocentrismo, que foi descoberto décadas antes pelo padre Copérnico e financiado pelo Papa Paulo III, e que ainda não havia sido confirmado unanimemente pela ciência. Sem uma física como a de Newton, sem uma prova ótica como o movimento da terra, a coisa não se podia explicar. O próprio Galileu diante de outros cientistas em seu julgamento não foi capaz de provar cientificamente o heliocentrismo, ou seja, a teoria que dizia que o sol está no centro e a terra se move ao redor dele. Só mais tarde com novos instrumentos e estudos isso pode ser provado. Não só isto, Galileu havia conseguido fraudulentamente o imprimatur, enganou a quem o concedeu dizendo que era uma exposição imparcial, mas não era nada imparcial. Por este motivo foi acusado e, portanto, submetido a processos, ou seja, submetido a um processo disciplinar.

Outro aspecto importante a levar em conta é que, ainda que as críticas de Galileu à posição tradicional estavam fundamentadas, nem ele nem ninguém possuíam naquele tempo argumentos para demonstrar que a Terra se move ao redor do Sol. Galileu tentou prová-lo citando o movimento das marés, desde então, como sabemos, o argumento das marés estava errado. Só para bem situar as pessoas, antes disso tudo Galileu havia “provado” matematicamente a existência do fictício inferno de Dante Alighieri. (1)

Galileu nunca foi condenado como herege, nem tampouco o heliocentrismo foi declarado como herético. Foi-lhe imposta uma penitência saudável, que consistia em prisão domiciliar, onde trabalhava normalmente, e recitar uma vez na semana os sete salmos penitenciais. Sua filha se ofereceu para fazê-lo no lugar dele. Não esteve na prisão nem um só momento, em atenção à sua fama, à sua idade e à consideração que tinha; foi tratado sempre com grande admiração.

Ao contrário do que a velhaca jornalista tenta passar, Galileu amava a Igreja, e diz, exagerando (Galileu) como faz sempre, em uma carta a um nobre francês: “Outros podem ter falado mais piamente e mais doutamente, mas nenhum mais cheio de zelo pela honra e a reputação da Santa Mãe Igreja do que escrevi eu”. É exagerado, mas, em todo caso, demonstra que é verdade. Como dizia João Paulo II, a verdade histórica dos fatos está muito longe da imagem que se criou posteriormente em torno de Galileu.

Galileu morreu na velhice, e sempre foi católico até o último dia de sua vida, e repousa até hoje dentro de uma Igreja católica.

A maior injustiça neste caso é os caluniadores sempre omitirem que foi o padre Copérnico, o verdadeiro descobridor do heliocentrismo, décadas antes de Galileu o defender cegamente. Por mais que a atitude dos que condenaram Galileu pareça exagerada, na realidade responde a uma lógica. (2)

Max Planck

Hoje sabemos que a Igreja fez muito bem, defendendo prudentemente as Escrituras quando Galileu a questionou. As Escrituras afirmam que “o sol se deteve … quase um dia inteiro” (Josué 10,13), demonstrando um excepcional milagre divino, onde quase não houve noite no fim do dia. Não há contradição aí, a menos que alguém queira discutir com Max Planck e Albert Einstein (da Teoria da Relatividade):

"Se tomarmos, por exemplo, um sistema de referências fixamente ligado com a nossa Terra, teremos de afirmar que o Sol se move no céu; se, inversamente, deslocarmos o sistema de referência para uma estrela fixa, o Sol encontra-se em repouso. Na oposição entre estas duas formulações não existe contradição nem obscuridade:
trata-se somente de duas maneiras diferentes de considerar as coisas. Segundo a teoria física da relatividade, que atualmente pode ser considerada como aquisição científica assegurada, ambos os sistemas de referência e os modos de consideração que lhes correspondem são igualmente corretos e igualmente justificados, e é fundamentalmente impossível, sem arbitrariedade, decidir entre eles através de quaisquer medições ou cálculos".(Max Planck, in Vorträge und Erinnerungen, Stuttgart, 1949, p. 311).

Isto claramente prova que a Igreja, não estava “errada”, como pregam certos indoutos linguareiros, para rapinar na ignorância. Além do que no texto da sentença a Galileu não aparece em nenhum momento citado o Papa; portanto, esse documento não pode ser considerado como um ato de magistério pontifício, e menos ainda como um ato de magistério infalível nem definitivo. (3)


2- A confissão dos Templários – A jornalista afirma que um pergaminho de 60 metros contém o processo contra a Ordem dos Templários da França, acusada de heresia pelo Papa Clemente V. – Uma mentira vergonhosa!

A Verdade: o pergaminho não contém nenhuma acusação ou condenação do Papa aos Templários, mas a confissão dos templários diante de três cardeais enviados pelo Papa ao castelo de Chinon. Quem condenou os templários e os sacrificou na fogueira foram os corruptos reis da época, valendo-se de falsas acusações e torturas, para se apoderarem dos bens da Ordem.

A publicação desse documento caluniado pela jornalista, dissipa e deixa claro todas as dúvidas que por interesse se verteram durante esses séculos sobre a Ordem do Templo e que tanto dano causaram à imagem da Ordem, deixando claro que:

1. O Papa Clemente V nunca esteve convencido da culpabilidade da Ordem do Templo.

2. A Ordem do Templo, seu Grão Mestre Jacques de Molay e os demais templários presos, muitos deles justiçados posteriormente, foram absolvidos pelo Santo Padre.

3. O Templo nunca foi dissolvido, senão suspenso.

4. O Papa Clemente V nunca acreditou nas acusações de heresia e por isso permitiu aos templários justiçados receber os Santos Sacramentos.

5. Clemente V nega as acusações de traição, heresia e sodomia pelas quais o Rei da França acusou o Templo.

6. O processo e martírio de templários foi um “sacrifício” para evitar um cisma na Igreja Católica, que não compartilhava em sua grande maioria das acusações do Rei da França, e muito especialmente da Igreja francesa.

7. As acusações foram falsas e as confissões conseguidas sob torturas.

Fonte: http://somostodosum.ig.com.br/clube/artigos.asp?id=10172


3- O Papa Pio XII – Em tom pilhérico, a aleivosa jornalista afirma que na exposição não há nada sobre o Papa Pio XII, segundo ela “acusado de se omitir diante da matança de judeus pelos nazistas.” – Uma mentira vergonhosa!

A verdade: Há sim, muito na exposição que contradiz a jornalista , sobre a inocência e bravura do Papa Pio XII. A jornalista apenas omitiu e preferiu fazer eco a uma caduca difamação maquinada e já refutada pelo jornalista Olavo de Carvalho, que começou com a caluniosa peça teatral “O Vigário”(1963), do protestante Rolf Hochhuth, e culminou no fantasioso livro do desonesto John Cornwell, “O Papa de Hitler” (1999), sendo de cabo a rabo essa farsa, uma criação da KGB.
Confira tudo aqui: http://www.olavodecarvalho.org/semana/070201jb.html

O Papa jamais silenciou diante do massacre dos judeus. Repetem essa mentira para vê-la tornar-se verdade. Os meios de comunicação da época são testemunhas letais contra os caluniadores.

Veja os Editoriais do New York Times nos anos da guerra sobre Pio XII:

“A voz de Pio XII é uma voz solitária no silêncio e na escuridão envolvendo a Europa neste Natal. O Papa reitera o que antes já havia dito. De modo geral, ele repete, ainda que mais claramente, o plano de cinco diretrizes que ele primeiro enunciara em sua mensagem de Natal no início da guerra, em 1939. (…)”

http://pioxiicaluniado.blogspot.com.br/2008/10/o-editorial-do-new-york-times.html

Manchester Guardian elogia o Vaticano: "o mais
enérgico defensor  da Polônia torturada".

Em janeiro de 1940, por exemplo, o Papa deu instruções à Rádio Vaticana de que revelasse as "horríveis crueldades da selvagem tirania" que os nazistas estavam infligindo aos judeus e aos católicos poloneses. Dando notícia da transmissão uma semana depois, o Defensor Público dos judeus de Boston reconheceu-a por aquilo que era: "Uma denúncia explícita das atrocidades perpetradas pelos alemães na Polônia ocupada pelos nazistas, declarando abertamente que são uma afronta à consciência moral de toda a humanidade".
O New York Times escreveu em seu editorial: "Hoje o Vaticano falou, com uma autoridade que não pode ser posta em discussão, e confirmou os piores presságios de terror que emergem das trevas da Polônia". Na Inglaterra, o Manchester Guardian elogiou o o mais enérgico defensor da Polônia torturada".
http://www.alfredo-braga.pro.br/discussoes/opapajusto.html

Ao contrário do que afirmava a omissa e desonesta jornalista, ao dizer que não havia nada ali sobre o Papa Pio XII, há sim documentos que defendem a atitude do papa Pio XII, entre eles, está um relatório do núncio Francesco Borgongini-Duca que visitou sete campos de concentração na Itália, em 1941, e uma carta de agradecimentos de pessoas detidas nos campos, endereçada ao papa.

http://www1.folha.uol.com.br/mundo/1055317-vaticano-expoe-documentos-valiosos-de-arquivos-secretos.shtml

Filmes revelam ajuda de Pio XII aos judeus na SGM. – Foram descobertos filmes que mostram a enorme atividade de ajuda que o Papa Pio XII desenvolveu durante a Segunda Guerra Mundial a favor de todas as vítimas, independentemente de sua religião.
http://www.2guerra.com.br/novosite/index.php?option=com_content&view=article&id=738:filmes-revelam-ajuda-de-pio-xii-aos-judeus-na-sgm&catid=94:artigos&Itemid=32


4- A Carta indígena – A desonesta e omissa jornalista mostrou um
a carta indígena escrita em 1887, “feita com o tronco de uma árvore” e enviada ao Papa Leão XIII, mas “inteligentemente” omitiu que o chefe da tribo indígena Ojibwa na carta, chama Leão XIII de "grande mestre das preces que cumpre as funções de Jesus".

Por que será que a jornalista fez questão de comentar caluniando o conteúdo dos outros documentos e omitiu o conteúdo desta carta? Certamente faltou uma lenda negra protestante para este caso.

O povo católicos não merece o mau-caratismo da espírita Rede Globo, nem a má fé e falta de profissionalismo da senhora Ilze Scanparini, em Roma, num sábado de Aleluia.


Notas:

(1) Scientifc Blunders: A Brief History of How Wrong Scientists Cam Sometimes Be,

Roberts yuongson, Carrol & Graf Publishers, 1998.

(2) Mariano Artigas e Melchor Sánchez de Toca, Galileo y el Vaticano. Historia de la Comisión Pontificia de Estudio del Caso Galileo (1981-1992) (Madrid: Biblioteca de Autores Cristianos, 2008).)

(3) Por Mariano Artigas, professor de Filosofia da Ciência na Universidade de Navarra (Espanha), co-autor do livro “ Galileo en Roma. Crónica de 500 días” e autor do livro “Filosofia da Natureza”.

Nota da CNBB sobre o aborto de Feto “Anencefálico” 13/04/2012

Posted by Moisés Gomes in Aborto.
Tags: ,
comments closed

Referente ao julgamento do Supremo Tribunal Federal sobre a Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental nº 54

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB lamenta profundamente a decisão do Supremo Tribunal Federal que descriminalizou o aborto de feto com anencefalia ao julgar favorável a Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental n. 54. Com esta decisão, a Suprema Corte parece não ter levado em conta a prerrogativa do Congresso Nacional cuja responsabilidade última é legislar.

Os princípios da “inviolabilidade do direito à vida”, da “dignidade da pessoa humana” e da promoção do bem de todos, sem qualquer forma de discriminação (cf. art. 5°, caput; 1°, III e 3°, IV, Constituição Federal),referem-se tanto à mulher quanto aos fetos anencefálicos. Quando a vida não é respeitada, todos os outros direitos são menosprezados, e rompem-se as relações mais profundas.

Legalizar o aborto de fetos com anencefalia, erroneamente diagnosticados como mortos cerebrais, é descartar um ser humano frágil e indefeso. A ética que proíbe a eliminação de um ser humano inocente, não aceita exceções. Os fetos anencefálicos, como todos os seres inocentes e frágeis, não podem ser descartados e nem ter seus direitos fundamentais vilipendiados!

A gestação de uma criança com anencefalia é um drama para a família, especialmente para a mãe. Considerar que o aborto é a melhor opção para a mulher, além de negar o direito inviolável do nascituro, ignora as consequências psicológicas negativas para a mãe. Estado e a sociedade devem oferecer à gestante amparo e proteção

Ao defender o direito à vida dos anencefálicos, a Igreja se fundamenta numa visão antropológica do ser humano, baseando-se em argumentos teológicos éticos, científicos e jurídicos. Exclui-se, portanto, qualquer argumentação que afirme tratar-se de ingerência da religião no Estado laico. A participação efetiva na defesa e na promoção da dignidade e liberdade humanas deve ser legitimamente assegurada também à Igreja.

A Páscoa de Jesus que comemora a vitória da vida sobre a morte, nos inspira a reafirmar com convicção que a vida humana é sagrada e sua dignidade inviolável.

Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil, nos ajude em nossa missão de fazer ecoar a Palavra de Deus: “Escolhe, pois, a vida” (Dt 30,19).

Cardeal Raymundo Damasceno Assis

Arcebispo de Aparecida

Presidente da CNBB

Leonardo Ulrich Steiner

Bispo Auxiliar de Brasília

Secretário Geral da CNBB

Jornal do Brasil – Enquetes – Você acha que a mulher grávida de um feto anencéfalo pode escolher se interrompe ou não a gestação? 10/04/2012

Posted by Moisés Gomes in Aborto.
comments closed

A propósito da votação que haverá no STF no dia 11/04/2012, o site do Jornal do Brasil está promovendo uma enquete pedindo a nossa opinião sobre o tema.

Não deixe de responder NÃO no seguinte link:

http://www.jb.com.br/enquetes/2012/04/voce-acha-que-a-mulher-gravida-de-um-feto-anencefalo-pode-escolher-se-interrompe-ou-nao-a-gestacao-2/

No dia 09/04/2012 às 14:40 a votação estava 66% Sim contra 33% Não

Vamos reverter esse resultado!

Jorge Ferraz: Direito de nascer, independente de quem seja a mãe 31/03/2012

Posted by Moisés Gomes in Aborto.
comments closed

do Deus lo Vult! de Jorge Ferraz (admin)

Creio já ter me referido aqui a este blog chamado “Nossa amada Vitória de Cristo”, mantido por um casal que tem uma filha deficiente: a pequena Vitória. Nas palavras de seus pais, o blog foi criado (há mais de dois anos!) “[p]ara contar sobre a nossa amada filha Vitoria. Para mostrar a todos que ela existe e tem uma história. Uma linda história”.

Esta foto abaixo foi publicada domingo passado (25 de março de 2012). A menina já está grandinha, tem mais de dois anos. Tem uma evidente deficiência no crânio, facilmente perceptível nas fotos. No entanto, assim como uma outra criança deficiente de há alguns anos, sorri.

Vitória foi diagnosticada com acrania quando ainda estava no ventre de sua mãe. Não tenho formação médica, mas o Google me ensina que a acrania está freqüentemente associada com a anencefalia. A explicação é bem simples: a ausência da calota craniana (acrania) faz com que o encéfalo do bebê fique desprotegido e, exposto ao líquido amniótico, termine por ser danificado (causando assim a anencefalia ou meroanencefalia em suas diversas nuances). A própria semelhança entre Vitória e outras crianças anencéfalas mostra que elas poderiam perfeitamente ser confundidas. Para todos os efeitos práticos, é como se Vitória fosse anencéfala. Se os seus pais quisessem, ela teria sido abortada.

O nosso Supremo Tribunal Federal marcou para o próximo dia 11 de abril o julgamento sobre a autorização para o aborto de anencéfalos. O foro, claro, é uma fraude do começo ao fim; primeiro porque o ministro relator já “cantou” o resultado do julgamento muito antes dele ser realizado e, segundo, porque o STF não tem competência para legislar (e inventar que “não se pune” o aborto de anencéfalos é acrescentar uma terceira exclusão ao artigo 128 do Código Penal, é legislar). Da nossa vergonhosa Suprema Corte, no entanto, nós infelizmente podemos esperar qualquer sandice.

Isto não é uma questão sobre “liberdades”. Não nos basta saber se Cacilda ou Joana terão o direito de terem suas filhas; interessa-nos impedir que crianças deficientes possam ser exterminadas. Interessa-nos que Marcela, Vitória e tantas outras tenham o direito de viver porque são seres humanos, e não pela casualidade de suas mães terem “renunciado” ao “direito” de lhes assassinar. Não basta que a mãe tenha o direito de ter a criança, qualquer que seja ela; é preciso que a criança tenha o direito de nascer independente de quem seja a sua mãe.

É esta, no fim das contas, a nossa luta: pela vida das crianças. Aqui não cabe falar em “liberdade” das mães, porque nenhum direito à liberdade pode estar acima do inalienável direito à vida. Independente da deficiência que porventura se possua, o direito de viver deve ser assegurado pelos poderes públicos, não podendo de nenhuma maneira estar nas mãos de particulares. É esta e não outra a questão (de suma importância!) que será julgada nas próximas semanas pelo STF. Vejamos se a nossa Suprema Corte a levará a sério – ou, ao contrário, prosseguirá levianamente com a agenda da morte que vem sendo sistematicamente implantada em nossa Pátria ao longo dos últimos anos.

Frei Rojão: "Desistam e vão para casa!!!" 31/03/2012

Posted by Moisés Gomes in Curiosidades, Pensadores, Polêmicas.
comments closed

Desistam e vão para casa!!!

do Blog do Frei Clemente Rojão de Frei Clemente Rojão OAAO
A imprensa está infiltrada por petistas e esquerdistas diversos. Por conseqüência, torna-se anticatólica. Salvo loas aos bocoiós Betto & Boff, é cacete na Igreja sempre. Sempre.

Leio as notícias da visita do papa à Cuba e México, e sinto que é “o dia da marmota” da Jornada de Madri. É mais do mesmo. E qual é o mesmo?
Que já era. A Igreja está acabada. Não consegue superar sua crise. É negada por todos os lados. Que deveria se envergonhar de seu passado distante (Inquisição! Cruzadas!) e de seu passado recente (Pedofilia!). Que qualquer pessoa amante do belo, justo e bom é naturalmente contra a Igreja. Que o papa está velho (isso bem é verdade) e acuado, sem apoio, desesperado. Que a Igreja tenta nos aprisionar nas suas garras, nós que estamos libertos pelo sacrossanto estado laico, que compreendem como proibidor de todas as manifestações religiosas. Que o clero não se renova, que as pessoas não mais dão ouvidos à sua pregação, que não atinge os jovens, que não atinge os velhos. Acusam a Igreja por estar ao lado do poder, acusam a Igreja por não ser atuante contra o poder. E dão trela à qualquer grupelho que se diga contra a Igreja buscando holofotes, mesmo que sua credibilidade seja mínima. Finalmente lembram-se da velha novidade das outras igrejas cristãs separadas da nave-mãe romana, lembram-se que luteranos, anglicanos, coptas e outros não segue a Matriz Romana (que novidade!) e minimizam o protagonismo romano como único porta-voz do cristianismo acuado no mundo. A Igreja vai acabar, vai cair de repente como a União Soviética, ainda em nossas vidas.
In summa, quando leio estas abordagens, dá vontade de fechar a paróquia. Não o fechamento da Vigília do Sábado Santo, mas um fechamento por total falência moral e espiritual. Eu me admiro, se a situação da Igreja fosse como os jornais dizem, que teríamos um gato pingado na missa dominical ainda…
No entanto, os eventos do papa são sucessos estrondosos. E esta instituição decadente, anacrônica e caindo de podre, esperando o amanhã para acabar, reúne pessoas aos milhões e milhões. Quantos grupos “florescentes” desejariam nossa decadência…
O que eles não entendem, afeitos a enxergarem conspirações, é que a Igreja é movida sim por uma agenda, que não é nem um pouco secreta, e obedece a um interesse. O interesse de Jesus Cristo! É por Jesus Cristo que a Igreja se move, é Jesus Cristo que puxa os cordões, é Jesus Cristo que manda na Igreja católica. Não é o papa, nem a Cúria, nem os Sínodos dos bispos, nem o Colégio dos Cardeais, nem as Congregações. Estes são no máximo os feitores. É o filho do dono da vinha é quem manda contratar, manda arrendar, manda colher e manda pagar, é quem age de maneira misteriosa porém com mensagem clara pela Igreja.
É impossível entender a Igreja católica dissociada da realidade da existência e da majestade de Jesus Cristo. Não se compreende sua juventude a despeito dos milênios. Não se figura sua unidade. Não se abarca sua diversidade. A hierarquia não se sustenta por seus méritos. A doutrina não é coerente por força humana. Os fiéis não são atraidos por propaganda nem marketing. Uma força eminentemente sobrenatural mantém este edifício de palha erguido coeso com a resistência do cristal. A Igreja tem um segredo que não é secreto, Jesus Cristo e seu Evangelho, que ela proclama e grita, mas o mundo faz-se cego para ele.
Porém tentam nos fazer perder a esperança e a fé, dizendo “desistam e vão para casa, está acabando”. Diga isso a Lúcifer e seus anjos no Inferno, cujo tempo da derrota e castigo definitivo está próximo, Marana-tá!
Não! Não! Não desistiremos! Seja no Egito, seja na Babilonia, seja em Roma, seja em Avignon, seja nas selvas brasileiras, seja nas africanas, seja nos blogs, seja na rua, seja perseguidos na China, seja perseguidos na Arábia, seja perseguidos nos jornais, não desistiremos, porque Jesus Cristo não desiste, tomba com sua cruz três vezes, três vezes se ergue, oferece o braço ao cravo e é erguido no madeiro em sinal de reconciliação. E tal como age o noivo, tal como age a noiva, tal como Cristo não será derrotada a Igreja!

Pediatra diz que hoje não faria o aborto 27/03/2012

Posted by Moisés Gomes in Doutrina Católica.
comments closed

Dia 11 de abril o STF julgará se outras tantas Marcelas merecem ou não viver. Lembrar da vida dela e divulgar a sua breve mas intensa história entre nós é por si só uma grande resposta a muitos que questionam o direito de viver desses pequenos sofredores.

http://culturadavida.blogspot.com.br/2008/09/pediatra-diz-que-hoje-no-faria-o-aborto.html

Pediatra diz que hoje não faria o aborto

Médica que cuidou de anencéfala diz que caso abre precedente e que impossibilidade de sobrevida “já não se confirma”

Márcia Beani diz que não faz apologia para que mulheres evitem ou não interromper a gravidez em casos como o da menina Marcela GEORGE ARAVANIS
DA FOLHA RIBEIRÃO

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/ff2408200808.htm

Acostumada a dar explicações apenas técnicas sobre o estado de saúde de Marcela de Jesus Galante Ferreira, a pediatra Márcia Beani, que cuidou da menina anencéfala durante os 20 meses de vida, acabou formando também uma opinião pessoal sobre o assunto.

“Eu não faria o aborto. Nunca tinha pensado nisso antes, mas hoje não faria”,afirmou Beani. A médica, no entanto, não revela se é contra ou a favor da interrupção da gravidez em tais casos. “Eu não faço apologia para que as mães façam o que a Cacilda (Galante Ferreira, mãe de Marcela) fez, e nem para o aborto”, disse.

Para a médica, Marcela foi um presente. “Se algum dia aparecer outro caso, será outro presente. Ela me ajudou a crescer profissionalmente e pessoalmente”, disse.

Para Beani, o caso pode mudar os paradigmas a respeito da sobrevida em bebês com anencefalia. “O caso da Marcela abriu um precedente nunca visto. Ela teve a vida plena. Viveu com a mãe, trouxe alegria. Se você disser que uma criança anencéfala não tem condição de sobrevida, que é o que vemos em literatura, que vai ficar em estado vegetativo, isso já não se confirma”, afirmou Beani.

Segundo a médica, Marcela era uma criança tão ativa que chegou a arrancar, em três ocasiões, a sonda por meio da qual recebia alimentos.

A surpresa com a resistência da menina fez Beani desistir das previsões de sobrevivência depois do primeiro mês de vida da anencéfala. Segundo a médica, cerca de metade dos fetos anencéfalos nem chegam a nascer e, dos que nascem, cerca de 95% vivem poucas horas.

A pediatra criticou os médicos que, à distância, opinaram que Marcela não era anencéfala, e que, por isso, o caso da menina não poderia ser citado na condução do debate sobre a interrupção da gravidez. “É antiético. Não sei como uma pessoa que conhece de leitura um caso pode opinar sobre isso sem nunca ter visto a criança.”

Sinais da decadência – Por Jorge Ferraz 26/03/2012

Posted by Moisés Gomes in Doutrina Católica.
comments closed

Recebi uma notícia bombástica este final de semana, cuja manchete dizia: Sandy defende casamento homossexual, aborto e se diz contrária ao celibato. O estopim de tudo isso foi uma entrevista que a garota deu recentemente ao jornal O GLOBO, onde ela revela as suas posições polêmicas.

Numa lista de internet da qual participo, alguém comentando o fato citou um livro do Mario Ferreira dos Santos. De acordo com o filósofo, estamos diante de um sinal da decadência de um povo quando este passa a dar ouvidos a artistas e atletas. E talvez o mais constrangedor aqui seja o fato de que nem precisaríamos ser filósofos de reconhecida envergadura intelectual para constatarmos esta verdade elementar.

Afinal de contas, quem é a Sandy? Lembro-me dela cantando Maria Chiquinha quando eu era criança; depois lembro-me da repercussão que houve quando ela declarou ser ainda virgem. Depois (um dia desses, aliás) foi a vez dela fazer um comentário embaraçoso sobre sodomia e prazer (!) e, agora, a sua língua rotatória se volta contra valores caros à Igreja Católica.

Tudo aqui é vergonhoso: desde a imprensa que se prostitui para produzir uma pauta com semelhante [ausência de] conteúdo, até a garota que se acha gabaritada para papagaiar em público suas opiniões levianas sobre estes temas morais e chegando até às pessoas que lerão esta notícia e levarão a sério as declarações clichês da Sandy, tomando-a talvez de alguma maneira por formadora de opinião.

Eu não vou nem comentar o absurdo que é a Sandy abrir a boca para se dizer contra o celibato, como se o celibato tivesse ainda que remotamente alguma coisa a ver com ela ou como se as pessoas tivessem o direito de ser contra as escolhas de vida dos outros e que não lhes dizem respeito. Mas vou deixar registrada a estupidez proferida com relação ao aborto, que se encontra na entrevista já citada:

ABORTO: Aborto, sob o ponto de vista jurídico, é crime. Eu defendo a descriminalização, principalmente quando a gravidez representar risco para a mulher ou para o bebê.

Entenderam? Matar um bebê é crime, mas ela defende que isso possa ser feito quando a gravidez representar risco para o bebê! Ou seja, se o bebê estiver em risco, a brilhante solução proposta pela ex-intérprete de Maria Chiquinha é matá-lo, certamente porque o risco cessa quando se realiza e uma vez que o bebê já esteja morto não estará mais em risco (!) e todos estarão felizes e satisfeitos! Este raciocínio faz sentido para alguém? No entanto, é exatamente este relincho que ganha destaque na grande mídia. É para repetir esta espécie de chavões que a Sandy aparvoa-se toda, sem perceber o papelão que está fazendo.

Dar ouvidos a este tipo de opiniões é um sinal de decadência; mas claro que é! E talvez seja um sinal de decadência ainda maior que um filósofo precise sentenciar o óbvio ululante e, mesmo assim, seja para todos os efeitos tratado como uma voz esgoelando-se no deserto. Mesmo assim, todos continuam agindo como se ninguém tivesse dito nada.

Fonte: http://www.deuslovult.org/2012/03/26/sinais-da-decadencia/

O engenheiro e o petista 26/03/2012

Posted by Moisés Gomes in Doutrina Católica.
comments closed

SEM PALAVRAS

Um engenheiro caminhava por uma estrada, quando percebe um balão voando baixo.

O balonista lhe acena desesperadamente, consegue fazer o balão baixar ao máximo possível e grita:

– Pode me ajudar? Prometi a um amigo que me encontraria com ele às 2 horas da tarde, mas já são quatro horas e nem sei onde estou. Poderia me dizer onde me encontro?

O homem da estrada responde: – Sim! Você se encontra flutuando a uns cinco metros acima da estrada, e está a 33 graus de latitude sul e 51 graus de longitude oeste.

O balonista escuta e pergunta, com sorriso irônico: – Você é engenheiro?

– Sim, senhor! Como descobriu?

– Simples! O que você me disse está tecnicamente correto, porém sua informação me é inútil e continuo perdido! Será que consegue uma resposta mais satisfatória?

O engenheiro raciocina por segundos e depois afirma ao balonista:
– E você é petista!

– Sim, sou filiado ao PT! Como descobriu?

– Fácil!

Veja só; você subiu, sem ter a mínima noção de orientação!

Não sabe o que fazer, onde está e tampouco para onde ir!

Fez promessa e não tem a menor idéia de como conseguirá cumpri-la!

Espera que outra pessoa resolva o seu problema, continua perdido e acha que a culpa do seu

problema passou a ser minha!

É petista nato!!!

Facebook 24/03/2012

Posted by Moisés Gomes in §|Olhar Católico|§ indica.
comments closed

Pessoal, só passando pra lembrar vocês: o §|Olhar Católico|§ também está no Face! Curtam!

Cariocas sairão às ruas para repudiar o aborto 21/03/2012

Posted by Moisés Gomes in Doutrina Católica.
comments closed

Cristãos da Cidade Maravilhosa, mexam seus traseiros gordos! Ou magros, sarados, muxibas… Vamos todos nos reunir para defender a vida das crianças nascituras. Se você tava com invejinha do pessoal de Sampa, que fará uma manifestação em repúdio ao aborto dos nascituros no dia 21/03, não precisa mais. No dia 23/03 (sexta), às 18h, os cariocas estão convidados para celebrar o Dia do Nascituro em uma solenidade na Assembleia Legislativa.

O evento é uma iniciativa do deputado estadual (RJ) Márcio Pacheco. É um alento ver políticos católicos se mobilizando por causas justas e que colaboram com a construção do Reino de Deus.

Então, tá marcado: na sexta, dia 23 de março, é nóis no Centro do Rio! Pelas crianças inocentes, com Jesus e Maria!